https://imgur.com/ZIwdItP.gif

★ ENERGIA SOLAR - Os 5 ramos de negócio que mais investem em energia solar no Brasil

Foto: Reprodução

Na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Vereadores, foi apresentado um projeto de Lei, de autoria do vereador Sousa Filho, para a implementação do sistema de energia solar fotovoltaica nos órgãos público da cidade em um prazo de 10 anos, mas como sempre, foi reprovado pelos vereadores da base do prefeito...


Entenda um pouco sobre os benefícios que está autogeração de energia elétrica poderia economizar e mas, colocaria Catalão no marco da energia limpa e de sustentabilidade.

Andradina-SP


A escola “Eulália Matos de Oliveira” é a primeira de Andradina, município de São Paulo, a ter um sistema de energia solar. Além dos benefícios ambientais e econômicos, a iniciativa é um grande exemplo para os alunos.

Com as placas solares nos telhados, serão produzidas pelo menos 1500 Kwh/mês – que é a demanda da escola. Desta forma, a instituição de ensino terá autossuficiência energética.  

Foto: Reprodução / Escola Eulália Matos - Andradina-SP
“A energia solar veio para ficar e no futuro será a principal fonte de energética, não só no Brasil, como no mundo. A medida vai tornar todo o sistema mais sustentável, além de gerar uma economia aos cofres públicos”, diz a prefeita Tamiko Inoue.  

A Eulália Matos integra a rede municipal de ensino infantil, portanto as aulas ocorrem apenas durante o período diurno. 

Isso facilita o aproveitamento da energia que só pode ser gerada durante o dia.  

Segundo a prefeitura, a geração solar vai atender a demanda de cerca de 300 pessoas, entre alunos e profissionais da unidade escolar.  

O sistema de produção de energia solar teve custo de 
  • R$ 48.100,00 

e foi arcado pela prefeitura.  Além da Eulália Matos, outras escolas têm apostado na instalação de placas solares em seus telhados.

Produção de Energia

Produzir a própria energia de forma limpa, economizando até 95% nas contas de luz e, de quebra, agregando um apelo de sustentabilidade junto a marca.

Essas são algumas das principais razões que levam milhares de empresas no Brasil a apostarem na autogeração elétrica por meio de sistemas de energia solar fotovoltaica.  

Segundo o banco de dados oficial do segmento de geração distribuída, compilado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), consumidores comerciais são o segundo maior em número de instalações.  

Somente em 2019, o mercado brasileiro registrou um aumento de mais de 241% nas instalações de energia solar comercial.  

Entre os ramos de atividade que mais investem nas placas solares, de acordo com o levantamento de uma empresa do ramo, estão:  
  • 1º Restaurantes 
  • 2º Escolas e Faculdades 
  • 3º Hotéis 
  • 4º Padarias 
  • 5º Academias  


Ao implantar a tecnologia, esses estabelecimentos conseguem uma redução imediata na conta de luz e que dura mais de 25 anos, vida útil da placa de energia solar.  

Essa economia, obtida todo mês, pode então ser usada para aumentar a competitividade da empresa.  

Além disso, com as linhas de financiamento para energia solar promovida pelos bancos nos últimos anos, hoje já é possível a algumas empresas instalarem o sistema e quitá-lo com a própria economia obtida na conta de luz.  

Ademar Menezes, dono de uma farmácia de manipulação na cidade de Ribeirão Preto – SP, foi um desses consumidores que apostaram na energia solar para suprir o consumo de sua empresa.  
“Meu sistema já está com 3 a 4 anos, foi o melhor investimento que fiz na vida. Pagava cerca de 2.300,00 reais por mês entre minha residência e minha farmácia, hoje pago cerca de R$110,00.”, conta Menezes, que também implantou um sistema em sua casa.  

Segundo a projeção oficial da Aneel, com base no atual crescimento do setor, até 2024 o Brasil terá 886.700 sistemas de geração solar fotovoltaica instalados, sendo:
  • 808.357 residenciais, 
  • e 78.343 comerciais.


4 estádios de futebol com energia solar no Brasil que você precisa conhecer

Confira, abaixo, 4 estádios brasileiros que usam energia solar e as informações sobre os seus sistemas:  

Maracanã  

O estádio carioca Jornalista Mário Filho recebeu, em 2014, um sistema com 1.552 placas solares, que cobrem uma área de 2.380 m² e são capazes de gerar 500 megawatts-hora de energia por ano.  

Mineirão  

Uma das instalações solares mais emblemáticas de Minas Gerais é a do estádio Governador Magalhães Pinto, melhor conhecido como o Mineirão.  

Ele foi o primeiro estádio do mundo que sediou uma partida da Copa do Mundo (Colômbia x Grécia, em 14 de junho de 2014) operando com uma usina solar.  

A usina, instalada no topo do estádio, possui um painel com 6 mil placas que ocupam uma área de 11,5 mil m², tendo capacidade de produção de 1,42 MWp (Megawatt-pico).  

Desta, apenas 10% é usada no estádio, enquanto o resto é distribuído pelo estado através da rede elétrica da CEMIG (Companhia de Energia Elétrica de Minas Gerais).  

Arena Pernambuco  

A usina solar do estádio Arena Pernambuco, em Recife, foi a primeira do tipo a ser instalada no estado, no final de 2013, e conta 3.652 placas solares capazes de gerar 1.500 megawatts-hora de energia por ano, equivalente a 30% do consumo do estádio.  

Pituaçu  

O estádio Governador Roberto Santos, em Salvador, foi o primeiro da América Latina a contar com um sistema de energia solar, instalado em 2012, com 2.292 módulos fotovoltaicos capazes de gerar 630 megawatts-hora/ano de energia.


Fonte: Blog Blue Sol e CicloVivo 



Está matéria é em oferecimento:




Folha de Catalão - A notícia de forma direta


Tags
Reações

Postar um comentário

[blogger]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget