Últimas Notícias

Foto: (Reprodução) /Google 

Em crescimento no Brasil, cultura do trigo se beneficia de fertilizantes de alta performance

Fernando Hansel*

 

A tecnologia aplicada ao campo, que contribui para o aumento da produtividade, vem tornando o plantio de trigo na safra de inverno uma opção bastante atraente para o agricultor brasileiro. Além disso, a cotação no mercado nacional do cereal, um dos itens principais das dietas das pessoas em todo o mundo, também contribui para que sua produção seja atraente.

 

Segundo dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área de trigo cresceu 14,8% no Brasil na última safra em relação ao ano anterior. A produtividade cresceu em 5,4%, maior volume desde 2000.

 

Tradicionalmente cultivado na região Sul do país, o trigo tem conquistado espaço em outras regiões e tem se mostrado um importante aliado para o sistema produtivo, contribuindo para a produção de soja, pois o plantio direto na palha, reduz o estresse hídrico e ajuda a incrementar a fertilidade do solo.

 

A nutrição das plantas, aliás, é um dos principais aspectos a serem observados no ganho de produtividade do trigo. E a escolha correta do fertilizante e sua aplicação equilibrada e ajustada garantirá um aumento no perfilhamento, incremento no número de espigas e nutrientes suficientes para o enchimento dos grãos.

 

Existem, sim, tecnologias em fertilizantes que reúnem nutrientes em proporções adequadas para contribuir com a rentabilidade. Um exemplo de alta performance que pode ser utilizado na lavoura de trigo é o MicroEssentials, uma fórmula exclusiva da Mosaic Fertilizantes, criada para aumentar a eficiência da absorção de nutrientes do início ao fim do ciclo da cultura, levando as plantas a atingirem todo o seu potencial produtivo.

 

MicroEssentials é composto por Nitrogênio amoniacal, Fósforo de alta solubilidade - decisivos na adubação de trigo- e duas formas de Enxofre no mesmo grânulo. Assim a cultura tem um fornecimento imediato vindo do sulfato e um fornecimento gradual vindo do enxofre elementar, assegurando a nutrição desde a emergência até a colheita.

 

Bem nutridas desde o início, as plantas respondem com rápido desenvolvimento inicial e definem um potencial produtivo mais elevado. Resultados em 68 campos demonstrativos, mostraram que áreas adubadas com MicroEssentials tiveram incremento médio de 4,6 sc/ha (sacas por hectare) de 2017 a 2020.

 

O fertilizante também garante excelente qualidade física de um produto estável, seco e solto, sendo muito fácil para se manusear. A estabilidade também faz com que o MicroEssentials apresente uma ótima fluidez tanto na aplicação no sulco, quanto a lanço, permitindo regulagens duradouras, sem necessidade de novas paradas para limpezas ou novas regulagens no implemento agrícola. Dessa forma há também menos paradas para abastecimento.

 

Por ter nitrogênio, fósforo e enxofre no mesmo grânulo, a distribuição é uniforme, o que levará a uma lavoura mais homogênea, com melhor pegamento de florada, maior sanidade, maior enchimento e peso de grãos, e, portanto, plantas com maior potencial produtivo.

 

* Fernando Dubou Hansel, agrônomo sênior da Mosaic Fertilizantes.


 

Sobre Mosaic Fertilizantes


Com a missão de ajudar o mundo a produzir os alimentos de que precisa, a Mosaic atua da mina ao campo. A empresa entrega cerca de 27,2 milhões de toneladas de fertilizantes ao ano para 40 países, sendo uma das maiores produtoras globais de fosfatados e potássio combinados. No Brasil, por meio da Mosaic Fertilizantes, opera na mineração, produção, importação, comercialização e distribuição de fertilizantes para aplicação em diversas culturas agrícolas, ingredientes para nutrição animal e produtos industriais. Presente em dez estados brasileiros e no Paraguai, a empresa promove ações que visam transformar a produtividade do campo, a realidade dos locais onde atua e a disponibilidade de alimentos no mundo. Para mais informações, 


Siga-nos no 

Fonte: CDN

Esta matéria é em oferecimento de:



FOLHA DE CATALÃO - A NOTÍCIA DE FORMA DIRETA

Foto: (Reprodução) /Talent Soluções em Recursos Humanos

Oportunidades de emprego (14/04), disponibilizadas no quadro de vagas da Agência Talent...


Se você atende o perfil e tem interesse na oportunidade, candidate-se através do link: https://talent.abler.com.br/ ou traga seu currículo pessoalmente até o endereço da Talent.
Endereço F, 552, B. Loteamento Leão, Catalão/GO.

Para mais informações ligue: (64) 3442 2986 ou 9 8439-3001.  

Vagas:

  • 01 Vaga - Vendedor (a) Interno,
  • 02 Vagas - Operador de Máquinas Agrícolas - Guarda Mor - MG,
  • 01 Vaga - Operador de Máquinas Agrícolas - Santo Antônio do Rio Verde - GO,
  • 03 Vagas - Motorista de Caminhão.

Segue abaixo os Editais das vagas.













Fotos: (Reprodução) /Talent




Fonte: Talent

Esta matéria é em oferecimento de:



FOLHA DE CATALÃO - A NOTÍCIA DE FORMA DIRETA





Foto: (Reprodução) /Goinfra e Codego   


Governo de Goiás deve investir R$ 14 milhões no Distrito Mineroindustrial de Catalão para ampliar competitividade. Com está obra, deverá acabar o jejum de 21 anos, que à implementação da última empresa de grande poste no município...


Proposta estratégica está em elaboração, uma parceria entre Codego e Goinfra. Objetivo é executar obras de infraestrutura para desenvolver indústrias instaladas no parque industrial e atrair novos investidores para região


O Governo de Goiás deve investir aproximadamente R$ 14 milhões em obras de infraestrutura no Distrito Mineroindustrial de Catalão (Dimic), na região Sudeste do Estado, dentro de uma proposta estratégica do governador Ronaldo Caiado para tornar o parque industrial ainda mais competitivo. A intenção é fornecer condições que propiciem a atração de novos investidores, o crescimento das mais de 60 indústrias instaladas no polo e a criação de novos empregos para o Estado.


É com esse objetivo em comum que a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) e a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) formatam um termo de cooperação técnica para a execução de pavimentação asfáltica, recapeamento e construção de galerias pluviais ao longo de aproximadamente 12 quilômetros de vias do Dimic. Além disso, a iluminação pública será requalificada para trazer mais segurança aos que trafegam pelo distrito no período noturno. 


Em reunião nesta segunda-feira (05/04), o presidente da Codego, Renato de Castro, e o presidente da Goinfra, Pedro Sales, alinharam os últimos detalhes para dar andamento ao projeto executivo.


Dimic


Administrado pela Codego, o Dimic possui mais de 2,4 milhões de metros quadrados de área e é considerado um dos parques industriais mais importantes do Estado. A localização privilegiada, às margens da BR-050, facilita o escoamento da produção.


Entre outros fatores importantes, o polo está instalado a cerca de 110 quilômetros de Uberlândia (MG), nos entrepostos de São Paulo a Brasília, e conta com a presença da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), que passa por 300 municípios em sete Estados e alcança os portos de Santos (SP) e Vitória (ES).


O distrito é constituído por empreendimentos dos mais diversos segmentos, como o automobilístico, o de cerâmica, de derivados de cimentos, de máquinas agrícolas, de fertilizantes e de metalúrgica, entre outros.


Foto: Codego

Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) - Governo de Goiás


Vamos cobrar, fiscalizar e participar à uma Catalão melhor. Para todos sempre!!!


Fonte: Governo de Goiás 


Esta matéria é em oferecimento de:




FOLHA DE CATALÃO - A NOTÍCIA DE FORMA DIRETA

Foto: (Reprodução) /O Que Os Políticos Não Falam 

MAS, E O BRASIL COM SEUS ESTADOS E MUNICÍPIOS?


O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson na última segunda-feira, após notícias de melhora no sistema sanitário (DEVIDO A VACINAÇÃO) resolveu iniciar o projeto de desconfinamento com a reabertura comercial não essencial – que desde o inicio da pandemia foi assistida pelo governo, que concedeu um subsídio de US$ 10,8 mil/pessoa devido às restrições anunciadas pelo governo.

Boris Johnson, como um governante conservador, decidiu agir por meio da prudência, com isso, disponibilizou um sistema de testagem em massa para a população inglesa. Esse sistema visa realizar duas testagens por semana a todas as pessoas da Inglaterra, para que assim, elas se sintam seguras ao saírem de suas casas, mesmo após a vacinação.

Uma realidade distante do Reino Unido, o que vemos no Brasil, o tempo todo, foi o Presidente, os Governadores e os Prefeitos agindo de forma irresponsável como se nada estivesse acontecendo. Com o velho discurso:

"NÃO TEMOS DINHEIRO!"
OU
"ESTAMOS QUEBRADOS",
levaram todas as decisões na barriga, dando menos que o básico para a população, mas, que a todo tempo esbanjam seus vários privilégios.

Poderia aqui listar os repasses bilionários do governo federal aos governadores e prefeitos que NADA FIZERAM – cabendo deixar claro que esses repasses realizados pelo governo federal, foram bem menos que a obrigação os fazer – além do mais, esses governadores, até agora, não prestaram contas de forma clara, de onde esse dinheiro foi colocado.

Poderia também citar os erros e desrespeitos na comunicação que o Presidente Bolsonaro teve, o que dificultou ainda mais as medidas sanitárias – deixando claro, que criticar Bolsonaro não é defender o Condenado LULA, que quis dar uma de bom gestor, esbravejando, e tentando nos enganar, achando que os brasileiros não sabem, que grande parte dos problemas do Brasil são culpa dele e da sua corja de bandidos corruptos.

Concomitantemente, tratando especificamente da testagem em massa, a gente sabe que isso nunca ocorreu e pelo jeito nunca vai ocorrer no Brasil, mesmo sendo uma recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mas, o porque tratar desse tema então?

Bom, para deixar claro que a preocupação dos nossos governantes no Brasil,
NUNCA FOI COM
a vida da população,
SEMPRE COM A ELEIÇÃO, REELEIÇÃO, IMAGEM, POLÍTICA,
mas, nunca com a sua vida.

Mas, talvez isso você já saiba.

Texto: Marcos Paulo Ferreira Silva.
Fonte: GDZ Mundial.



Esta matéria é em oferecimento de:



FOLHA DE CATALÃO - A NOTÍCIA DE FORMA DIRETA

Foto: Folha de Catalão /Cmei Ana Maria Guimarães, mais de 450 dias sem receber alunos, e não ganha nenhuma reforma.

Creches que não tem um cabo eleitoral de peso, é deixada a sua própria sorte em bairros periféricos do município, pelo próprio prefeito que falou estar mais humilde e humano...


Cmei dos bairros Vila Erondina e Jardim Paraíso desde 2011 não recebe nenhuma reforma no seu espaço físico.


Foto: Folha de Catalão /Cmei Ana Maria Guimarães - Se a entrada está assim, imaginem o resto  

Nenhum aluno recebeu algum mimo na celebração do dia da Pascoa e muito menos os famosos kit's alimentação ou merenda.

Foto: Folha de Catalão /Cmei Ana Maria Guimarães - Se a entrada está assim, imaginem o resto  

E cadê os dezessetes vereadores, legisladores, fiscais, os políticos mais próximos do povo? Ninguém sabe, a última vez que foram visto, era época de eleição, (05) meses atrás.

Vamos intercalar está matéria de um descaso com a educação infantil, com a matéria do professor Mamede Leão, "E o dinheiro da Merenda Escolar"?

Foto: (Reprodução)


E o dinheiro da Merenda Escolar?



Segundo informações do Gente boa do Blog, Mamede Leão, até o momento, são 15 meses sem um tostão sequer do dinheiro da Merenda Escolar para os alunos da rede municipal de educação em Catalão.

Algo em torno de 10 milhões de reais, se somados com o dinheiro destinado ao transporte escolar, são vários milhões que ninguém sabe se estão nos cofres públicos guardados, se foram usados em outras frentes ou se desapareceram.

Vale lembrar que não pode ser destinados a outros projetos e que pelo andar da carruagem, não se tem nenhum outro projeto em andamento.


Perguntar pode?


Cadê o dinheiro da merenda e do transporte escolar?


Fonte: Blog do Mamede

FOLHA DE CATALÃO

Esta matéria é em oferecimento de:


FOLHA DE CATALÃO - A NOTÍCIA DE FORMA DIRETA

Foto: (Reprodução)

Vaga: Mecânico de Manutenção de Máquinas.

Vaga: Técnico (a) de Segurança do Trabalho, 2 vagas.

Vaga: Auxiliar de Costura.








Se você atende o perfil e tem interesse na oportunidade, candidate-se através do link: https://talent.abler.com.br/ ou traga seu currículo pessoalmente até o endereço da Talent.
Endereço F, 552, B. Loteamento Leão, Catalão/GO.

Para mais informações ligue: (64) 3442 2986 ou 9 8439-3001.  

Fonte: Talent Catalão  

Esta matéria é em oferecimento de:



FOLHA DE CATALÃO - A NOTÍCIA DE FORMA DIRETA

Foto: (Reprodução) /Professor, Escritor, Historiador e Jornalista Mamede Leão

Nas Ondas e nas Redes: Comunicação, Poder e Cidadania!



Depois do grande sucesso de público e crítica, com a obra 


“Quem Matou Oripão? Diamantes, Política, Festas e… Morte!”

 

Que trouxe de volta a polêmica que acerca o assassinato de Erípedes Pereira, crime ocorrido em 1998, que na época era o prefeito de Catalão, e que acabou decretando a aposentadoria do grandioso e todo poderoso Haley Margon Vaz.

O Gente boa do Blog, 


"Mamede Leão - O Custoso", 

 

irá lançar a sua nova obra prima, que está marcado para o dia 01 de junho, o lançamento de seu segundo livro: 


"Nas Ondas e nas Redes: Comunicação, Poder e Cidadania!"

Foto: (Reprodução) /Professor, Escritor, Historiador e Jornalista Mamede Leão

Segundo o autor, o livro falará um pouco da história do rádio em Catalão, de seus principais comunicadores, da chegada das redes sociais e da atuação de alguns blogs e ativistas digitais.


"Você que gosta de rádio, comunicação e cidadania encontrará nele uma boa pesquisa histórica e muitas informações que certamente muitos não conhecem." 

 

Enfatizou Mamede Leão.


"E mais, entenderá mais a respeito da relação do poder com alguns  programas de rádio e de seu uso em defesa de alguns grupos políticos." 

Finalizou o grande professor.




Esta matéria é em oferecimento de:



FOLHA DE CATALÃO - A NOTÍCIA DE FORMA DIRETA
 

Foto: (Reprodução)


Sem data certa para serem vacinados, 1,5 milhão de brasileiros com câncer fazem parte da extensa lista de pessoas com comorbidades prevista para uma futura fase 3; Pesquisas mostram impactos do coronavírus em pacientes oncológicos no Brasil, quedas no número de exames essenciais de rastreamento e cancelamentos de condutas terapêuticas...   


Embora as descobertas científicas no diagnóstico e tratamento do câncer avancem em todo o mundo, neste Dia Mundial de Combate ao Câncer, lembrado hoje, 8 de Abril, a pandemia da Covid-19 é a maior preocupação dos especialistas da área. O medo do contágio foi o principal fator por trás de uma queda alarmante nos atendimentos oncológicos e, com a segunda onda acontecendo no Brasil, o problema pode se estender por ainda mais tempo. Um cenário de incertezas e vulnerabilidades agravado pela falta de perspectiva relativa ao calendário de vacinação para os  1,5 milhão de brasileiros que atualmente passam por tratamentos contra tumores malignos, de acordo com o GLOBOCAN 2020 - relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) que apresenta o panorama mundial da doença. 


Estudo liderado pelo Grupo Oncoclínicas, publicado neste início de ano pelo Journal of Clinical Oncology (JCO), mostrou que pacientes com câncer tiveram taxa de mortalidade pelo vírus seis vezes maior se comparada aos números gerais registrados até aqui. Ao todo, 198 participantes foram pesquisados, sendo que 167 (84%) tinham tumores sólidos e 31 (16%) neoplasias hematológicas (no sangue). A maioria deles estava em terapia sistêmica ativa ou radioterapia (77%). A mortalidade geral por complicações de Covid-19 foi de 16,7%, sendo que, em modelos univariados, os fatores associados à morte após o diagnóstico de contaminação pelo coronavírus foram tratamento em um ambiente não curativo, idade superior a 60 anos, tabagismo atual ou anterior, comorbidades coexistentes e câncer do trato respiratório. 


“A análise endossa as recomendações para termos  ações que contribuam para minimizar os riscos de infecção pelo SARS-CoV-2 entre pacientes com câncer e indica o senso de urgência da vacinação para essas pessoas. Diante do cenário que vivemos, com altos índices de contaminação e ocupação dos leitos hospitalares no limite, temos que considerar a inclusão específica dessa parcela da população no Plano Nacional de Imunização como uma medida importante para garantir que essa parcela da população tenha sua necessidade priorizada e respeitada”,
 

explica afirma o oncologista Bruno Ferrari, fundador e presidente do Conselho de Administração do Grupo Oncoclínicas. 


Vale lembrar que o câncer faz parte da lista de doenças estabelecida pelo Ministério da Saúde cujo tratamento não pode ser considerado eletivo. Atualmente, pacientes oncológicos estão incluídos no contingente de 17,8 milhões de indivíduos que compõem uma longa lista de comorbidades feita pelo Governo Federal, entre as quais também estão contempladas 


  • obesidade, 
  • diabetes, 
  • cardiopatias 
  • e hipertensão, 
  • entre outros. 

Todos  devem ser contemplados em algum momento na chamada fase 3 do Plano Nacional de Imunização. Não há, contudo, ainda um escalonamento claro de como se dará essa agenda de vacinação, considerando as especificidades e graus de risco de cada uma dessas doenças associadas ao agravamento da Covid-19.


Com base nas análises científicas feitas no Brasil e também em outros países, a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) encaminhou ofício ao Ministério da Saúde solicitando prioridade na vacinação para quem passa pelo tratamento contra o câncer.


Pandemia afeta rotina de pacientes oncológicos e adia novos diagnósticos da doença


Ainda que a OMS ressalte não ser possível ter uma visão apurada neste momento dos impactos diretos da pandemia na luta contra o câncer, a entidade alerta que há motivos efetivos para preocupação com as consequências da situação atual para a oncologia. Essa percepção é reforçada por um levantamento do Movimento Todos Juntos Contra o Câncer (TJCC), realizado em 2020: mais de 700 pessoas entre pacientes oncológicos, cuidadores e profissionais de saúde, disseram sentir o impacto da pandemia na oncologia. 


Dos pacientes consultados, 38% afirmaram ter remarcado por decisão própria ou a pedido da instituição onde realizam acompanhamento de suas consultas com o especialista e 28% sofreram alterações de agenda para realizar os exames de acompanhamento da doença. Do lado dos profissionais de saúde, 34% afirmaram que tiveram pacientes com cirurgias oncológicas adiadas e que entre os tratamentos mais comuns indicados para tumores malignos, 17% observaram que foram necessárias remarcações de sessões de radioterapia e outros 15% de quimioterapia.


Dados como estes são alarmantes, já que o tratamento do câncer não deve parar. 


“Para o paciente, a interrupção na linha de cuidados pode levar ao agravamento da doença e de fato reduzir amplamente as chances de cura. Há um ano estávamos aprendendo  a lidar com a falta de conhecimento sobre o novo coronavírus e, de fato, a ausência de informações precisas acabou gerando uma onda de adiamentos das terapias por pacientes receosos com uma possível exposição à Covid-19”,

 destaca Bruno Ferrari.


E o problema não se restringe ao medo de quem depende de tratamento contra tumores malignos. Outros estudos mostram a mesma tendência negativa com relação aos exames de rastreamento preventivo e diagnóstico. O relatório Radar do Câncer, divulgado em março pelo Instituto Oncoguia com informações do DataSUS, aponta que o volume de biópsias realizadas no país teve uma queda em números absolutos de 737.804 para 449.275, quando comparados os meses de março a dezembro do ano passado com o mesmo período em 2019. Isso significa uma redução de 39% na realização desse procedimento que, apesar de classificado como eletivo, é essencial para a definição de condutas no combate ao câncer. 


“O adiamento nos acompanhamentos médicos de rotina podem ter como consequência um aumento nos índices de tumores descobertos em fase mais avançada, o que poderá reduzir as chances de cura em muitos casos. E esse é um problema de saúde pública que deverá mudar o panorama do câncer, com aumento da letalidade e reflexos negativos em termos de qualidade de vida dos pacientes”,
 

diz o médico.


Atendimento on-line pode ajudar


O fundador e presidente do Conselho de Administração do Grupo Oncoclínicas lembra que apesar de todos os fluxos nos centros de tratamento estarem seguindo os mais rígidos protocolos para assegurar um ambiente livre de contaminação, reduzir deslocamentos, aumentar o distanciamento social e o isolamento e manter as medidas de higiene e o uso de máscaras são fundamentais enquanto não temos um horizonte de imunização em massa. 


Contudo, ele faz questão de alertar não só quem precisa de cuidados médicos continuados, mas a população em geral sobre a relevância de não descuidar da saúde: com sintomas ou sentindo algo errado, é preciso procurar um médico. Neste momento, aconselha: diante do receio de sair de casa para buscar aconselhamento especializado, há a alternativa de agendar uma consulta remota para evitar deslocamentos desnecessários.


“Nada substitui uma consulta presencial, mas esses são tempos diferentes de tudo o que já vivemos e precisamos nos adaptar da melhor forma possível. A telemedicina tem se provado ser uma grande aliada e, por meio dela, seu médico sempre saberá indicar, por conhecer suas características, o que é melhor para você. E se não tiver um profissional de sua confiança, busque sempre a opinião de um especialista habilitado para que seja possível receber orientações precisas para o seu caso antes de qualquer tomada de decisão”,

 finaliza Bruno Ferrari.



Fonte: GA Comunicação 


Esta matéria é em oferecimento de:



FOLHA DE CATALÃO - A NOTÍCIA DE FORMA DIRETA

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget