https://imgur.com/ZIwdItP.gif

★ MISSÃO MARTE - China envia missão para Marte e alavanca corrida espacial com EUA

O Tianwen-1 da China decolou por volta das 12h (horário local) desta quinta-feira (23)  Foto: Twitter/ Space Today/ Reprodução


Dois anos após a humanidade pousar uma sonda em Marte, Estados Unidos e China lançam missões ao planeta vermelho neste mês e criam uma nova arena para sua crescente rivalidade...


O Tianwen-1 da China decolou por volta das 12h (horário local) desta quinta-feira (23) da Ilha Hainan, no sul do país, enquanto o rover Perseverance da Nasa está programado para ser lançado em 30 de julho. As duas sondas devem chegar a Marte em fevereiro de 2021.

As empreitadas pretendem responder a perguntas sobre o potencial de vida em Marte, incluindo a busca de sinais de condições habitáveis no passado antigo do planeta e a busca por evidências de vida microbiana. 

O veículo espacial tem uma broca que pode ser usada para coletar amostras de rochas e colocá-las de lado para potencialmente serem coletadas e examinadas por uma missão posterior.  

Se for bem-sucedida, a Perseverance será a sétima sonda que a Nasa pousou em Marte e o quarto veículo espacial. A Curiosity, que aterrissou no planeta vermelho em 2012, ainda está enviando dados sobre a superfície marciana.

Tianwen-1, cujo nome significa 
"Busca pela verdade celestial", 
é a primeira missão da China a Marte. A sonda orbitará o planeta antes de pousar um veículo espacial na superfície, com a esperança de reunir informações importantes sobre o solo marciano, estrutura geológica, ambiente, atmosfera e buscar sinais de água.  

Em um artigo na semana passada, a equipe científica por trás do Tianwen-1 disse que a sonda 
"vai orbitar, pousar e liberar um veículo espacial na primeira tentativa e coordenar as observações com um orbitador. Nenhuma missão planetária foi implementada neste momento. maneira."  

Por outro lado, a Nasa enviou vários orbitadores para Marte antes de tentar pousar. Descer do patamar é uma tarefa muito mais difícil.  
"Se for bem-sucedido, significaria um grande avanço técnico", escreveu a equipe chinesa na revista Nature.

Corrida espacial  

Em seu artigo, os cientistas da Tianwen-1 destacaram a chance de colaboração internacional 
"avançar nosso conhecimento de mercado para um nível sem precedentes". 
Não são apenas uma sonda própria e a Nasa que estão chegando ao próximo ano, mas também uma Sonda dos Emirados Árabes Unidos: o Hope Probe é a primeira missão interplanetária do mundo árabe.  

Cientistas que trabalham para a Nasa e uma agência espacial da China tiveram um relacionamento no passado. Eles colaboraram na Estação Espacial Internacional e se parabenizaram por missões bem-sucedidas, como o pouso de uma sonda pela China no outro lado da Lua.  

Mas, apesar de toda a insistência dos envolvidos, uma corrida espacial é inevitavelmente política. Como as primeiras missões da Nasa, particularmente aterradoras históricas de seres humanos na Lua em 1969, foram alimentadas pela rivalidade da Guerra Fria entre Washington e a União Soviética.  

Pequim, por sua vez, está muito entusiasmada com o potencial que poderia ganhar ao superar os EUA no espaço. Se a Tianwen-1 for bem-sucedida, o país planeja enviar uma missão tripulada para Marte.  

Sob o presidente Xi Jinping, a China investiu bilhões de dólares na construção de seu programa espacial, ao mesmo tempo em que reafirmava sua influência na Terra de forma mais agressiva e perseguida ou 
"grande rejuvenescimento da nação chinesa".  

O espaço foi destacado pelo governo chinês em seu 13º Plano Quinquenal como uma prioridade de pesquisa, especialmente explorações espaciais profundas e naves espaciais em órbita. Assim como a missão de Marte, Pequim também planeja lançar uma estação espacial permanente até 2022 e planeja enviar uma sonda tripulada para Lua, possivelmente na década de 2030.  

Este programa baseia-se nas descobertas das recentes mortes na China na Lua, especialmente nos veículos móveis Yutu, o primeiro dos quais teve que abandonar sua missão no meio do caminho por um período de três meses devido a um colapso. O Yutu-2, que pousou no lado oposto de Lua no ano passado, foi um enorme sucesso.  
"Nosso objetivo geral é que, por volta de 2030, a China esteja entre as principais potências espaciais do mundo", disse Wu Yanhua, vice-chefe da Administração Espacial Nacional, em 2016.

Missão a Marte 

A China chegou atrasada à corrida espacial. E, apesar de ter feito progressos incríveis nas últimas décadas, ultrapassar a Nasa - pelo menos em termos de direito de se gabar, se não cientificamente - exigiria algo espetacular, como pousar um humano em Marte.  

Mas há uma razão para que, desde 1972, toda a exploração espacial tenha sido realizada por robôs. Além de serem mais baratos, também são muito mais duráveis: 
Nenhum país quer ser o primeiro a ter um astronauta morto em outro planeta.  

A chegada de sondas robóticas em Marte já é bastante difícil, dadas as condições atmosféricas do planeta. Levar um humano para lá com segurança pode ser quase impossível.  

Mas isso não impediu os políticos de especularem sobre uma missão tripulada ao planeta vermelho. No início de seu mandato, o presidente dos EUA, Donald Trump, autorizou a NASA a 
"liderar um programa inovador de exploração espacial para enviar astronautas americanos de volta à lua e, eventualmente, a Marte".  

Trump também criou a Space Force, um novo ramo das Forças Armadas. Em uma apresentação da bandeira da organização no início deste ano, o líder dos EUA disse que 
"o espaço será o futuro. Tanto em termos de defesa, ofensa e tantas outras coisas". 
"Já pelo que estou ouvindo e com base em relatórios, agora somos o líder no espaço", acrescentou.  

Washington também não está prestes a deixar a China ultrapassá-lo. No ano passado, quando a CNN citou Joan Johnson-Freese, professora do Colégio de Guerra Naval dos EUA, dizendo que as 
"chances de a próxima transmissão de voz da lua estar em mandarim são altas", 
Jim Bridenstine, administrador da NASA nomeado por Trump, replicou: 
"Hmmm , nossos astronautas falam inglês ".


Fonte: CNNBRASIL Tecnologia


Tags
Reações

Postar um comentário

[blogger]

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget